05 mayo 2013

Estudo Como colaborar com Startups (versão em português)

Como colaborar com startupsEste estudo tem como objetivo converter-se em um documento de debate e reflexão sobre como melhorar as relações entre as  startups tecnológicas e as empresas do mundo do livro (editoras, livrarias, bibliotecas, etc.) com a finalidade de estabelecer conjuntamente áreas de colaboração estratégica.

Graças à participação no estudo de mais de 170 editoras e startups de todo o mundo (Espanha, Alemanha, Itália, Reino Unido, Argentina, Chile, México, Estados Unidos, Suécia, França, entre outros países), os resultados da pesquisa indicam que ambas as partes estão condenadas a se entenderem.  Comparativamente, a porcentagem de participação de editoras é superior, dado que existem mais editoras, do que startups especializadas no setor cultural. Não obstante, segmentamos todas as respostas para obter uma análise detalhada de ambas as amostras.

Em função das atuais restrições orçamentárias, a colaboração que pode estabelecer-se entre editoras e startups vai mais além de possíveis investimentos financeiros: ambas as partes podem alcançar acordos de comercialização de conteúdos durante um tempo limitado para testar uma determinada tecnologia ou chegar a acordos de marketing para oferecer aos leitores novas formas de descobrir e ler livros no século XXI.  Também podem colaborar na definição de novos modelos de negócio ou no desenvolvimento de funcionalidade específicas. As possibilidades de colaboração são muito amplas, tão somente é preciso disposição para alcançar acordos.

Depois de analisar e interpretar os resultados da pesquisa, estamos plenamente convencidos de que as entidades “tradicionais” do mundo do livro (Editores, livrarias, bibliotecas, etc.), no melhor sentido da palavra, precisam trabalhar mais de perto com as novas empresas “nativas digitais”, a fim de aproveitar melhor as oportunidades de negócios que a Internet oferece. Uma relação mais estreita com os futuros empreendedores do século XXI permitirá que as empresas tradicionais ganhem acesso não só a produtos e serviços inovadores, mas também proporcionará uma maior compreensão das adversidades dos modelos de negócios na economia digital. Os empreendedores digitais frequentemente encaram desafios com um novo olhar. Estes jovens empresários sempre tratam de encontrar uma nova maneira de resolver um problema de negócio ou atender uma necessidade específica dos consumidores de forma diferente. Colaborar com les permite que as empresas tradicionais obtenham uma compreensão mais profunda sobre a dinâmica economia digital, assim como as oportunidades de negócio que surgem diariamente neste novo mundo.

Os resultados deste estudo indicam que as editoras e startups estão condenadas a se entender para aproveitar oportunidades de negócios que a Internet oferece. Na era da participação, todas as empresas devem estabelecer alianças estratégicas, a fim de enfrentar os desafios da era digital. Não importa o quão grandes, pequenas ou especializados que sejam, todas as editoras, livrarias ou bibliotecas precisam se aliar a um ou mais parceiros de tecnologia, para sobreviver no século XXI.

Assim como na era analógica cada empresa alcançava os primeiros lugares por conta própria, na nova era da colaboração social a liderança setorial se consolidará através da colaboração empresarial. A principal vantagem competitiva na era digital é a criação de economias de escala através da agregação de tecnologias, conteúdos e serviços. O sucesso futuro de qualquer iniciativa digital no setor Cultural dependerá da sua capacidade de criar uma aliança estratégica entre várias empresas que desejem colaborar no desenvolvimento do projeto comum.

Dosdoce.com nasceu em março de 2004, com o objetivo de analisar ouso das novas tecnologias no setor cultural. Ao longo destes anos, desenvolvemos mais de 20 estudos e relatórios sobre o uso de novas tecnologias em diferentes áreas do setor cultural

Nota: Para fazer o download do relatório completo, clique no link Como colaborar com startups.

Edição especial do estudo para 4º Congresso Internacional CBL do Livro Digital.

A tradução do estudo para o português foi realizada pela Simplíssimo.

Deja una respuesta